Sobre o autor


Thadeu de Sousa Brandão

Sociólogo, Mestre e Doutor em Ciências Sociais pela UFRN. Professor Adjunto de Sociologia da UFERSA e do Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em "Cognição, Tecnologias e Instituições" (CCSAH/UFERSA) - (Nota 4 CAPES). Líder do grupo de Pesquisa "Observatório da Violência do RN". Autor de "Atrás das Grades: habitus e interação social no sistema prisional", "A Senhora do Sertão: a Festa de Sant'Ana de Caicó" e co-autor de "Rastros de Pólvora: Metadados 2015" e de "Observatório Potiguar 2016: Mapa da Violência do RN". Apresentador do Programa Observador Político da TV Mossoró e 93FM. Colunista do Jornal O Mossoroense.

Política, Sociologia, Ciência, Cultura e Filosofia. Blog criado em 22 de Outubro de 2012 e organizado por Thadeu de Sousa Brandão.

Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profthadeubrandao/

Contato, críticas, sugestões e artigos: thadeubrandao@bol.com.br

terça-feira, 15 de agosto de 2017

OBVIO/UFERSA: 2º Final de Semana de Agosto com 26 Mortes Matadas no RN


O OBVIO - Observatório da Violência Letal Intencional do RN: Nova atualização de CVLIs, no período compreendido entre 1 de janeiro a 13 de agosto de 2017 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 e 2016.

O RN contabiliza mais um fim de semana violento. No cômputo geral, até o fim da noite de ontem (1306/08/2017) foram 1518 CVLIs no RN. Os dados apontam para um aumento de 25,6% em relação a 2016. Os dados absolutos demonstram 312 mortes violentas a mais que no ano passado no mesmo período. Em 2016, até o mesmo período, foram 1206 CVLIs, contra 982 em 2015 e 1124 em 2014.


Quanto ao gênero, as vítimas de CVLIs deste FDS no RN, 256 (96%) foram homens e 1 (4%) foi mulher. 

Nos locais onde ocorreram os CVLIs neste último final de semana, tivemos: 13 casos em plena via pública (50% do total); 5 em hospitais e/ou prontos socorros (19% do total); 4 dentro ou na frente da residência da vítima (15% do total); 2 em equipamentos púbicos (8% do total), 1 em feiras livres e mercados (4%); e 1 em povoados e sítios (4% do total).


A dinâmica da violência elenca fatores que têm levado a concentração de CVLI no Leste Potiguar já foram amplamente divulgados por este Observatório em diversos relatórios, que desta feita foi responsável por 62% dos homicídios do final de semana (16 do total), seguida pela região Oeste Potiguar com 5 CVLIs (19% do total); depois vem a Região Agreste também com 2 CVLIs (15% do total), e finalmente a Região Central Potiguar que registrou 1 CVLIs ou 4% do total.


A Região Metropolitana de Natal concentrou 50% das ocorrências (13 CVLIs do total), da mesma forma como o Interior do estado com 50% (13 do total). A tendência de migração criminal devido à concentração de esforços na capital dá mostras de sua veracidade: além de Natal com registro de 4 CVLIs, a RMN segue com 4 CVLIs em Ceará-Mirim, 3 em Maxaranguape e; Macaíba com 2 CVLIs em cada. No interior aconteceram 2 em Canguaretama, e, com um CVLI em cada, os seguintes municípios: Canguaretama, Acari, Areia Branca, Assu, Boa Saúde, Bom Jesus, Brejinho, Ipanguaçu, Montanhas, Mossoró, Nova Cruz e Umarizal.


O final de semana começou com 7 CVLIs, aumentando no sábado para 9 CVLIs e por fim, terminou com no domingo com 101 ocorrências em cada (40% do total em cada dia).


Quanto aos horários (períodos) em que ocorreram os CVLIs neste FDS, o horário da noite foi o de maior concentração, com 8 CVLIs (30% do total), seguido de perto da tarde com 7 CVLIs (27% do total), depois veio a madrugada com 6 CVLIs (23% do total) e finalmente a manhã com 5 CVLIs (19% do total).


Quanto aos instrumentos letais utilizados para a execução dos CVLIs neste último FDS de julho, o uso de arma de fogo mantém a predominância com 962% dos casos (25 do total), seguido da arma branca com 1 ocorrência (4% em cada).

 


Feminicídios e Feminicídios

O Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), assim como vem divulgando os dados quantitativos sobre a violência homicida no RN em geral, as chamadas Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs), traz também os dados específicos relativos ao “feminicídio”, ou seja, as mortes violentas e homicídios ocorridos com mulheres (como elemento motivador o fato de serem mulheres e mortes de mulheres em geral).


Até domingo (13/08/2017) foram 89 femicídios no ano de 2017 no RN (aumento de 53% em relação a 2016), 58 em 2016 e 65 em 2015 no comparativo com o mesmo período. Quanto aos "feminicídios", foram 27 em 2017, contra 19 em 2016 e 11 em 2015, também no comparativo do mesmo período.

NOTA:

Reiteramos que o OBVIO utiliza a sigla CVLI referindo-se às Condutas Violentas Letais Intencionais que reúnem todo espectro da ação humana que visa a atingir fisicamente a outro, produzindo morte como resultado final imediato ou posterior em decorrência da natureza do ferimento causado, em virtude de ação e/ou omissão. O conceito adotado pelo Observatório se adapta à legislação sem prejulgar ninguém, muito menos causar prejuízo na aferição dos números da violência letal intencional, sendo incluídos todos os crimes e condutas análogas que tenham sido cometidas sob esse entendimento.

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA LETAL INTENCIONAL DO RN

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Alto do Louvor" em Mossoró. Para uma historiografia da Zona Mossoroense.

Por Thadeu Brandão.







"Alguns historiadores até atribuem ao fim dos antigos cabarés e casas de espetáculos da Cidade, que estavam concentrados no Alto do Louvor, uma relação direta com a mecanização das salinas. O Alto do Louvor iniciava-se na rua Nilo Peçanha e estendia-se até a Av. Alberto Maranhão. (...) as casas noturnas mais frequentadas eram: Copacabana, Coimbra, Brasília, Pernambucana, Casablanca, Ideal, Las Vegas, Brahma, Arpege e Diacuí - todos nomes que fazem referência a lugares, filmes, bebidas - sinônimos, na época, de atualidade e sofisticação. Quanto à origem do nome 'Alto do Louvor', em 04/11/1928, é inaugurada, pelo Sr. Eduardo Santos, uma casa de lanches com o nome de 'Art Nouveau'. (...) Aos poucos o Art Nouveau foi recebendo vizinhos: uma casa era construída aqui, outra ali, e as mulheres começaram a chegar e a tomar conta da região. Posteriormente, foi inaugurado o bar 'Alto do Louvor', um nome, que trazia alguma relação fonética com a casa de lanches de inspiração francesa Art Nouveau".

(ROCHA, Aristotelina. P. B. Expansão urbana de Mossoró (1980 a 2004): geografia dinâmica e expansão do território. Natal: EDUFRN, 2005, p. 73).

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

RN teve 27 mortes violentas neste FDS, aponta OBVIO/UFERSA


O OBVIO - Observatório da Violência Letal Intencional do RN: Nova atualização de CVLIs, no período compreendido entre 1 de janeiro a 6 de agosto de 2017 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 e 2016.

O RN contabiliza mais um fim de semana violento. No cômputo geral, até o fim da noite de ontem (06/08/2017) foram 1466 CVLIs no RN. Os dados apontam para um aumento de 26,3% em relação a 2016. Os dados absolutos demonstram 305 mortes violentas a mais que no ano passado no mesmo período. Em 2016, até o mesmo período, foram 1161 CVLIs, contra 948 em 2015 e 1096 em 2014.


Quanto ao gênero, as vítimas de CVLIs deste FDS no RN, 26 (96%) foram homens e 1 (4%) foi mulher. 


Nos locais onde ocorreram os CVLIs neste último final de semana, tivemos: 7 casos dentro ou na frente da residência da vítima (26%); 5 em hospitais e/ou prontos socorros (18% do total); 5 em vias púbicas (19% do total), 4 nas margens de rodovias e estradas (15% do total); 2 dentro de veículos (7% do total); 2 em equipamentos públicos (7% do total); 1 em feiras livres e mercados (4%); e 1 em terrenos baldios (4% do total).


A dinâmica da violência elenca fatores que têm levado a concentração de CVLI no Leste Potiguar já foram amplamente divulgados por este Observatório em diversos relatórios, que desta feita foi responsável por 70% dos homicídios do final de semana (19 do total), seguida pela região Oeste Potiguar com 3 CVLIs (11% do total) e juntamente com a Região Agreste também com 3 CVLIs (11% do total), e finalemente a Região Central Potiguar que registrou 2 CVLIs ou 8% do total.


A Região Metropolitana de Natal concentrou 59% das ocorrências (16 do total) e o restante ficou no interior do estado com 41% (11 do total). A tendência de migração criminal devido à concentração de esforços na capital dá mostras de sua veracidade: além de Natal com registro de 8 CVLIs, a RMN segue com 5 CVLIs em São Gonçalo do Amarante, 2 CVLIs em Ceará-Mirim, e Macaíba com 1. No interior aconteceram 2 em Baraúna, 2 em Parazinho, e Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Canguaretama, João Câmara, Montanhas, Pedro Velho e Upanema com 1 (um) CVLI em cada.



Os dias mais violentos foram sexta-feira e domingo com 11 ocorrências em cada (40% do total em cada dia), depois foi sábado com 5 ocorrências (19% do total).


Quanto aos horários (períodos) em que ocorreram os CVLIs neste FDS, o horário da manhã foi o de maior concentração, com 10 CVLIs (37% do total), seguido de perto da noite com 9 CVLIs (33% do total), depois veio a tarde com 5 CVLIs (18% do total) e finalmente a madrugada com 3 CVLIs (12% do total).


Quanto aos instrumentos letais utilizados para a execução dos CVLIs neste último FDS de julho, o uso de arma de fogo mantém a predominância com 92% dos casos (25 do total), seguido da arma branca e da asfixia mecânica provocada com uma ocorrência em cada (4% em cada).

 

Feminicídios e Feminicídios

O Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), assim como vem divulgando os dados quantitativos sobre a violência homicida no RN em geral, as chamadas Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs), traz também os dados específicos relativos ao “feminicídio”, ou seja, as mortes violentas e homicídios ocorridos com mulheres (como elemento motivador o fato de serem mulheres e mortes de mulheres em geral).


Até domingo (06/08/2017) foram 84 femicídios no ano de 2017 no RN (aumento de 53% em relação a 2016), 55 em 2016 e 65 em 2015 no comparativo com o mesmo período. Quanto aos "feminicídios", foram 24 em 2017, contra 16 em 2016 e 11 em 2015, também no comparativo do mesmo período.

NOTA:

Reiteramos que o OBVIO utiliza a sigla CVLI referindo-se às Condutas Violentas Letais Intencionais que reúnem todo espectro da ação humana que visa a atingir fisicamente a outro, produzindo morte como resultado final imediato ou posterior em decorrência da natureza do ferimento causado, em virtude de ação e/ou omissão. O conceito adotado pelo Observatório se adapta à legislação sem prejulgar ninguém, muito menos causar prejuízo na aferição dos números da violência letal intencional, sendo incluídos todos os crimes e condutas análogas que tenham sido cometidas sob esse entendimento.

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA LETAL INTENCIONAL DO RN

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

OBVIO divulga: Último Final de Semana com 24 mortes matadas no RN


O OBVIO - Observatório da Violência Letal Intencional do RN: Nova atualização de CVLIs, no período compreendido entre 1 de janeiro a 30 de julho de 2017 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 e 2016.

O RN contabiliza mais um fim de semana violento. No cômputo geral, até o fim da noite de ontem (30/07/2017) foram 1414 CVLIs no RN. Os dados apontam para um aumento de 24,7% em relação a 2016. Os dados absolutos demonstram 280 mortes violentas a mais que no ano passado no mesmo período. Em 2016, até o mesmo período, foram 1134 CVLIs, contra 931 em 2015 e 1065 em 2014.


Quanto ao gênero, as vítimas de CVLIs deste FDS no RN, 23 (95,83%) foram homens e 1 (4,1%) foram mulheres. 

Nos locais onde ocorreram os CVLIS neste último final de semana, tivemos: 8 casos dentro ou na frente da residência da vítima (33,33%); 6 em vias públicas (25% do total); 4 em terrenos baldios (16,67% do total); 4 em hospitais e/ou prontos socorros (16,67% do total); 1 em bares e festas (4,17%); e 1 nas margens de rodovias e estradas (4,17% do total).


A dinâmica da violência elenca fatores que têm levado a concentração de CVLI no Leste Potiguar já foram amplamente divulgados por este Observatório em diversos relatórios, que desta feita foi responsável por 75% dos homicídios do final de semana (18 do total), seguida pela região Oeste Potiguar com 5 CVLIs (20,83% do total) e da Região Agreste também com 1 CVLI (4,17% do total). Não houve registro de homicídios na Região Central Potiguar.


A Região Metropolitana de Natal concentrou 75% das ocorrências (18 do total) e o restante ficou no interior do estado com 25% (6 do total). A tendência de migração criminal devido à concentração de esforços na capital dá mostras de sua veracidade: foram 7 CVLIs em Ceará-Mirim, seguido de Extremoz com 5, depois vem Natal com 3, São José de Mipibu com 2 e São Gonçalo do Amarante com 1. No interior houve 3 em Mossoró e, com 1 CVLI em cada vem: Assu, Martins e São José do Campestre.


O dia mais violento foi o sábado, com 12 ocorrências (50% do total), seguido pela sexta-feira e pelo domingo com 6 ocorrências em cada (25% do total e cada dia).


Quanto aos horários (períodos) em que ocorreram os CVLIs neste FDS, o horário da noite foi o de maior concentração, com 9 CVLIs (37,50% do total), seguido da madrugada com 7 CVLIs (29,17% do total), depois veio a tarde com 5 CVLIs (20,83% do total) e finalmente a manhã com 3 CVLIs (12,50% do total).


Quanto aos instrumentos letais utilizados para a execução dos CVLIs neste último FDS de julho, o uso de arma de fogo mantém a predominância com 87,5% dos casos (21 do total), seguido da arma branca, do objeto contundente e da asfixia mecânica provocada com uma ocorrência em cada (4,17% em cada).

 

Feminicídios e Feminicídios

O Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), assim como vem divulgando os dados quantitativos sobre a violência homicida no RN em geral, as chamadas Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs), traz também os dados específicos relativos ao “feminicídio”, ou seja, as mortes violentas e homicídios ocorridos com mulheres (como elemento motivador o fato de serem mulheres e mortes de mulheres em geral).


Até domingo (23/07/2017) foram 79 femicídios no ano de 2017 no RN (aumento de 46,3% em relação a 2016), 54 em 2016 e 63 em 2015 no comparativo com o mesmo período. Quanto aos "feminicídios", foram 23 em 2017, contra 16 em 2016 e 9 em 2015, também no comparativo do mesmo período.

NOTA:

Reiteramos que o OBVIO Utiliza a sigla CVLI referindo-se às Condutas Violentas Letais Intencionais que reúnem todo espectro da ação humana que visa a atingir fisicamente a outro, produzindo morte como resultado final imediato ou posterior em decorrência da natureza do ferimento causado, em virtude de ação e/ou omissão. O conceito adotado pelo Observatório se adapta à legislação sem prejulgar ninguém, muito menos causar prejuízo na aferição dos números da violência letal intencional, sendo incluídos todos os crimes e condutas análogas que tenham sido cometidas sob esse entendimento.

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA LETAL INTENCIONAL DO RN

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Edital Monitoria da Disciplina Sociologia (UFERSA/Campus Mossoró)



A Direção do Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas, da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), comunica aos interessados a abertura de inscrições para o concurso da MONITORIA DA DISCIPLINA DE SOCIOLOGIA – EDITAL Nº 21/2017.
Acesse o edital aqui: Edital 21-2017

segunda-feira, 24 de julho de 2017

FDs violento com 32 mortes no RN aponta OBVIO/UFERSA

O OBVIO - Observatório da Violência Letal Intencional do RN, apresenta uma nova atualização de CVLIs, no período compreendido entre 1 de janeiro a 23 de julho de 2017 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 e 2016.


O RN contabiliza mais um fim de semana violento. No cômputo geral, até o fim da noite de ontem (23/07/2017) foram 1364 CVLIs no RN. Os dados apontam para um aumento de 23,3% em relação a 2016. Os dados absolutos demonstram 258 mortes violentas a mais que no ano passado no mesmo período. Em 2016, até o mesmo período, foram 1106 CVLIs, contra 895 em 2015 e 1032 em 2014.





Quanto ao gênero, as vítimas de CVLIs deste FDS no RN, 31 (97%) foram homens e 1 (3%) foram mulheres.



Nos locais onde ocorreram os CVLIS neste último final de semana, tivemos: 13 em vias públicas (41%); 8 de dentro/frente de residências (25% do total); 3 no interior de edificações (10% do total); 3 em margens de rodovias e estradas (9% do total); 2 dentro de veículos (6%); e 1 em estradas carroçáveis (6% do total), bares e festas (6% do total) e equipamentos públicos (3%).





A dinâmica da violência elenca fatores que têm levado a concentração de CVLI no Leste Potiguar já foram amplamente divulgados por este Observatório em diversos relatórios, que desta feita foi responsável por 56% dos homicídios do feriado e final de semana (18 do total), seguida pela região Oeste Potiguar com 6 CVLIs (19% do total), da Região Agreste também com 6 CVLI (19% do total) e da Região Central Potiguar com  2 CVLIs (6% do total).





Natal e sua (RMN) segue a liderança dos CVLIs deste segundo FDS de julho, com 20 ocorrências na RMN (62%) e 12 no Interior (38%), sendo 6 na Capital, seguida de Ceará-Mirim com 4, Ielmo Marinho com 3, e com 2: Mossoró, Jandaíra, Parnamirim e São José de Mipibu. Os demais municípios que aparecem com 01 ocorrência cada (4,76% cada um): Apodi, Baraúna, Boa Saúde,  Caicó, Carnaúba dos Dantas, Macaíba, Pureza, São Gonçalo do Amarante, Tabuleiro Grande e Tibau.






Os dias mais violentos foram, respectivamente, Sexta-Feira com 13 ocorrências (40,63% do total), seguido pelo Sábado com 10 ocorrências (31,25% do total) e pela Domingo com 9 ocorrências (28,13% do total).





Quanto aos horários (períodos) em que ocorreram os CVLIs neste FDS, o horário da noite foi o de maior ocorrências, com 12 CVLIs (37,50% do total), seguido da manhã com 8 CVLIs (25% do total), da madrugada com 7 CVLIs (21,88% do total) e da tarde com 5 CVLIs (15,63% do total). 




Quanto aos instrumentos letais utilizados para a execução dos CVLIs neste  FDS de Julho, o uso de arma de fogo mantêm a predominância com 78% dos casos (25 do total), seguido de 02 mortes violentas através do uso de arma de fogo mais carbonização (7%) e 02 ocorrências envolvendo arma de fogo mais enforcamento (7%). Também tiveram um caso cada (3% cada um): arma branca, carbonização e espancamento.




Feminicídios e Feminicídios


O Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), assim como vem divulgando os dados quantitativos sobre a violência homicida no RN em geral, as chamadas Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIS), traz também os dados específicos relativos ao “feminicídio”, ou seja, as mortes violentas e homicídios ocorridos com mulheres (como elemento motivador o fato de serem mulheres e mortes de mulheres em geral).






Até domingo (23/07/2017) foram 77 femicídios no ano de 2017 no RN (aumento de 45,3% em relação a 2016), 53 em 2016 e 59 em 2015 no comparativo com o mesmo período. Quanto aos "feminicídios", foram 23 em 2017, contra 16 em 2016 e 6 em 2015, também no comparativo do mesmo período.


NOTA:


Reiteramos que o OBVIO Utiliza a sigla CVLI para as Condutas Violentas Letais Intencionais que reúnem todo espectro da ação humana que visa a atingir fisicamente a outro, produzindo morte como resultado final imediato ou posterior em decorrência da natureza do ferimento causado, em virtude de ação e/ou omissão. O conceito que adotam se adapta à legislação sem prejulgar ninguém, muito menos causar prejuízo na aferição dos números da violência letal intencional, sendo incluídos todos os crimes e condutas análogas que tenham sido cometidas sob esse entendimento.



OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA LETAL INTENCIONAL DO RN

segunda-feira, 17 de julho de 2017

21 homicídios marcam FDS no RN que chega a 1300 CVLIs, aponta OBVIO

O OBVIO - Observatório da Violência Letal Intencional do RN, apresenta uma nova atualização de CVLIs, no período compreendido entre 1 de janeiro a 16 de julho de 2017 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 e 2016.


O RN contabiliza mais um fim de semana violento. No cômputo geral, até o fim da noite de ontem (16/07/2017) foram 1300 CVLIs no RN. Os dados apontam para um aumento de 23,7% em relação a 2016. Os dados absolutos demonstram 225 mortes violentas a mais que no ano passado no mesmo período. Em 2016, até o mesmo período, foram 1075 CVLIs, contra 869 em 2015 e 997 em 2014.






A média de CVLIs no período supracitado (até 16/07/2017) foi de 6,6 CVLIs por dia em 2017, contra 5,46 CVLIs/Dia em 2016, 4,41 CVLIs/Dia em 2015 e 5,06 CVLIs/Dia em 2014. 2017 segue sendo o ano mais violento (até este momento) na história do RN.





Quanto ao gênero, as vítimas de CVLIs deste FDS no RN, 20 (95%) foram homens e 1 (5%) foram mulheres.




Nos locais onde ocorreram os CVLIS neste último final de semana, tivemos: 4 de dentro/frente de residências (20% do total);m 4 em vias públicas (20% do total) e também 4 em terrenos baldios (20% do total); 3 equipamentos públicos (13% do total) e 3 em povoados e sítios (13%); e 2  em hospitais e prontos socorros (10% do total).




A dinâmica da violência elenca fatores que têm levado a concentração de CVLI no Leste Potiguar já foram amplamente divulgados por este Observatório em diversos relatórios, que desta feita foi responsável por 43% dos homicídios do feriado e final de semana (09 do total), seguida pela região Oeste Potiguar com 8 CVLIs (38% do total), da Região Agreste com 2 CVLI (10% do total) e da Regi]ao Agreste Potiguar com também 2 CVLIs (9% do total).





Natal e sua (RMN) segue a liderança dos CVLIs deste segundo FDS de julho, com 7 ocorrências (33,33%), seguida de Mossoró com 4 (19,05%). Os demais municípios que aparecem com 01 ocorrência cada (4,76% cada um): Alto do Rodrigues, Canguaretama, Carnavais, João Dias, Lagoa Salgada, Pedra Preta, Pedro Avelino, São Gonçalo do Amarante, Umarizal e Nota Cruz. 




Os dias mais violentos foram, respectivamente, Domingo com 10 ocorrências (47,62% do total), seguido pelo Sábado com 9 ocorrências (42,86% do total) e pela Sexta-Feira com 2 ocorrências (9,52% do total).



Quanto aos horários (períodos) em que ocorreram os CVLIs neste FDS, o horário da noite foi o de maior ocorrências, com 10 CVLIs (47,62% do total), seguido da tarde com 5 CVLIs (23,81% do total), e da manhã e madrugada com 3 CVLIs cada uma (14,29% do total cada). 




Quanto aos instrumentos letais utilizados para a execução dos CVLIs neste  FDS de Julho, o uso de arma de fogo mantêm a predominância com 95% dos casos (20 do total), seguido de 01 morte violenta através do uso de queimadura (5%).





Feminicídios e Feminicídios


O Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), assim como vem divulgando os dados quantitativos sobre a violência homicida no RN em geral, as chamadas Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIS), traz também os dados específicos relativos ao “feminicídio”, ou seja, as mortes violentas e homicídios ocorridos com mulheres (como elemento motivador o fato de serem mulheres e mortes de mulheres em geral).





Até domingo (16/07/2017) foram 75 femicídios no ano de 2017 no RN (aumento de 41,5% em relação a 2016), 53 em 2016 e 57 em 2015 no comparativo com o mesmo período. Quanto aos "feminicídios", foram 22 em 2017, contra 16 em 2016 e 5 em 2015, também no comparativo do mesmo período.


OBS:

1 - Apontamos para uma ligeira desaceleração no ritmo dos homicídios, que antes estavam em 6,71 por dia e caiu para 6,60 por dia.
2 - Alertamos para o aumento de 41,5% de homicídios de mulheres e de 37,5% de aumento de feminicídios.                        
3 - Chamamos a atenção para a concentração de mortes em cada evento homicida:
  • Dia 3 foram: dois duplos homicídios de casais: um casal em Extremoz e outro casal em Cerro Corá;                      
  • Dia 4 foram três mortes em troca de tiros em Macaíba: um PM, um criminoso e uma mulher vítima na torca de tiros;                       
  • Dia 6 foi um duplo homicídio em Extremoz
  • Dia 7 Dois duplo homicídio: um em Parnamirim e outro em em São Gonçalo do Amarante                        
  • Dia 8 mais dois duplo homicídio: um em Ceara Mirim e outro em Pium, Parnamirim                        
  • Dia 12 mais dois duplo homicídio no Loteamento Nordelândia no Bairro Lagoa Azul em Natal e Vó e neto em São José do Campestre
  • Dia 13 Duas mortes no mesmo evento em Parnamirim, um assaltante e uma jovem vítima de bala perdida na torca de tiros;                        
  • Dia 16 um duplo homicídio na Favela do Fio, Bairro Santa Delmira em Mossoró, e;                       
  • Dia 17, hoje, uma chacina com 4 mortes em Ielmo Marinho.


NOTA:


Reiteramos que o OBVIO Utiliza a sigla CVLI para as Condutas Violentas Letais Intencionais que reúnem todo espectro da ação humana que visa a atingir fisicamente a outro, produzindo morte como resultado final imediato ou posterior em decorrência da natureza do ferimento causado, em virtude de ação e/ou omissão. O conceito que adotam se adapta à legislação sem prejulgar ninguém, muito menos causar prejuízo na aferição dos números da violência letal intencional, sendo incluídos todos os crimes e condutas análogas que tenham sido cometidas sob esse entendimento.




OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA LETAL INTENCIONAL DO RN